SÓ SE FECHAR OS OLHOS

Duas rainhas - opostas mas complementares - descobrem movimentos possíveis para além da norma. Se o espectador fechar os olhos e abrir os ouvidos, ele as vê. E elas dançam.

Da eterna questão da complexidade e beleza da tradução intersemiótica nasce este projeto. Uma obra que partiu da experiência em audiodescrição de espetáculos de dança para saltar para o campo da criação, brincando com o real e o imaginário, o possível e o impossível. Quando se fecha os olhos e se abre os ouvidos, um mundo novo se apresenta.

Com concepção e performance de Maria Fernanda Carmo e Mariana Farcetta, ‘Só se fechar os olhos’ é um duo de dança que só acontece dentro das mentes daqueles que, ou porque são cegos ou porque topam fechar os olhos para viver essa experiência, estão privados da visão. O texto que descreve essa dança, narrado com delicadeza sobre camadas de música, sons e ruídos,  é escrito por Edgar Jacques - ator e dramaturgo cego desde a infância. O criador dessa obra de dança nunca viu uma obra de dança. E isso lhe permite criar o que bem entender.

 

FICHA TÉCNICA

Só se fechar os olhos é uma criação conjunta de Edgar Jacques, Enrique Menezes, Maria Fernanda Carmo e Mariana Farcetta

Concepção e Performance: Maria Fernanda Carmo e Mariana Farcetta

Texto, coreografia e direção de narração: Edgar Jacques

Narração: Maria Fernanda Carmo

Composição e viola caipira: Enrique Menezes

Violoncelo: Rafael Ramalhoso

Sonorização: Maria Fernanda Carmo e Enrique Menezes

Figurino: Mariana Farcetta

Maquiagem: Felipe Ramirez

Operação de luz: Fernando Melo

Câmeras: Thamires Mulatinho

Edição de vídeo: Enrique Menezes

PARA ALÉM DO GESTO

Para além do gesto é a versão em Libras de 'Só se fechar os olhos', onde o texto é narrado em língua de sinais por Nayara Silva e Catharine Moreira.

FICHA TÉCNICA

Só se fechar os olhos é uma criação conjunta de Edgar Jacques, Enrique Menezes, Maria Fernanda Carmo e Mariana Farcetta

Concepção: Maria Fernanda Carmo e Mariana Farcetta

Texto: Edgar Jacques

Composição e viola caipira: Enrique Menezes

Violoncelo: Rafael Ramalhoso

Sonorização: Maria Fernanda Carmo e Enrique Menezes

Produção de Libras: FFomin Acessibilidade e Libras Ltda - Carol Fomin e Vânia Mantovan

Performance de Libras: Catharine Moreira e Nayara Silva

Intérprete de Libras: Carol Fomin, Claudia Ferreira e Thalita Passos

Figurino: Mariana Farcetta

Maquiagem: Felipe Ramirez

Operação de luz: Fernando Melo

Câmeras: Thamires Mulatinho

Edição de vídeo: Maria Fernanda Carmo

Produções artísticas

.

ENCONTRAMOS O GATO VERDE

Arthur e Adelaide são um pai e uma filha vivendo juntos e sozinhos, aprendendo aos trancos e barrancos como lidar com a própria interdependência, como estabelecer saudáveis conexões com o mundo exterior e como conviver de maneira tranquila com a deficiência visual.

Encontramos o Gato Verde é um diário, dividido em três partes, no qual a dupla se propõe a compartilhar algumas das suas experiências mais particulares, tendo por objetivo a melhor compreensão daquilo pelo que passaram. Ambos, de maneira aberta, escrevem sobre suas perdas, suas conquistas, temores e ousadias.

‘Encontramos o Gato Verde’ é a segunda obra literária de Edgar Jacques - um romance de cunho fictício que traz contudo sentimentos e situações da vida real do autor. Através de uma história que aborda a convivência entre um pai e sua filha com baixa visão - condição ainda mais invisibilizada do que a cegueira total - o escritor pretende falar um pouco sobre como se dão as relações de pessoas que têm baixa visão com o dia a dia e com a sociedade em geral, contribuindo assim para fomentar o debate acerca do tema da acessibilidade, tão urgente e necessário.

No intuito de atender com plenitude a diversidade de leitores, o romance, com o apoio do Edital Proac Publicação de Obras de Ficção, será publicado no final de 2021 em 3 formatos diferentes: físico, digital e sonoro.

A versão sonora é o foco do projeto em andamento. Produzida pela Rádio à Granel (Enrique Menezes e Maria Fernanda Carmo), contará com leitura realizada por vozes humanas a fim de proporcionar ao ouvinte uma imersão e um contato mais íntimo com o texto. Em contraposição ao mais comum hoje no mercado de audiolivros, a proposta estética aqui aposta na criação de um plano sonoro ousado e experimental, no qual a leitura é permeada por paisagens e elementos sonoros, convidando o ouvinte para uma experiência sinestésica.

FICHA TÉCNICA

Texto - Edgar Jacques

Revisão e Audiodescrição - Tereza Gouveia

Capa e ilustrações - Jeff Celophane

Editora - Telucazu Edições 

Sonorização - Rádio a Granel

Produção: Coletivo Desvio Padrão